Atropelamento do Santos deixa Renato sem a desculpa de R$ 200 milhões

Foto: Staff Images / CONMEBOL

Quando foi eliminado em goleada pelo Flamengo da Libertadores, em 2019, o técnico gremista Renato Gaúcho disse que a pressão estava sobre o rubro-negro porque tinha gasto quase R$ 200 milhões em contratações para seu time.

Não poderá usar o mesmo argumento ao ser atropelado pelo Santos nas quartas de final da Libertadores. Pelo contrário, neste confronto, o time com mais recursos é o Grêmio que teve R$ 100 milhões a mais em receitas nesta temporada de 2020.

O Santos, por sua vez, teve problemas administrativos – queda de presidente e faltas de recursos -, surto de Covid e desfalques. Entrou para as quartas de final na Vila Belmiro sem Soteldo, Pituca e Pará.

Nem isso, nem a vantagem do empate sem gols tirou a ousadia de Cuca. O técnico santista botou seu time para sufocar o Grêmio desde o início do ano com uma marcação alta. Conseguiu resultado em menos de 10 segundos quando Jean Pyerre errou o passe e Kaio Jorge ganhou a bola para abrir o placar.

O Grêmio se jogou todo, o Santos recuou. No banco, o hiperativo Cuca e o resignado Renato deixavam claro que a vaga estava decidida. E certamente não foi por dinheiro. Só restou o gol da pá de cal, quase de pelada, para a goleada e a arrancada apoteótica de Cuca.

Fonte: Uol Esporte

>>AnteriorComeça operação policial para reduzir crimes no final do ano em Lucas do Rio Verde
Próxima>>Polícia Ambiental apreende mais de 100kg de pescado irregular

Comente essa matéria

Comente:
Digite seu nome